à Espera de Godot

 

 

à Espera de Godot

 

Desde há tempos que o cenário eléctrico SADC me faz lembrar a peça de Samuel Beckett sobre os dois tipos que estão à espera de algo que nunca mais chega.

 

Se, para alguns, Godot não é coisa alguma ou sequer alguém, mas tão só um ente vago que, eternamente esperado ao fim de cada dia, apenas serve para distrair tédios, há quem, diferentemente, nele visualize miraginais acordos de venda de electricidade (PPAs 1).

 

Há dias, por exemplo, dei com Xiti e Zap, dois indigentes mascarados de Vladimir e Estragon, que em pleno Carnaval ensaiavam Beckett assim:

 

Mas esse tal de Godot afinal é o quê? A Eskom? – perguntava Xiti (X)

 

Lá estás tu a falaciar desejos! Isso é puro wishful thinking! – responde-lhe Zap (Z).

 

(X): Mas não vês que os gajos estão cada vez mais à rasca com blackouts a pairar-lhes em cima?

 

(Z): … e não são só eles, como sabes. O Botswana, Zâmbia e Malawi também, para não falar no Zimbabwe.

 

(X): Então, qual é o teu problema com as minhas centrais? Tenho-as para todos os gostos …carvão, hídricas, e a gás natural até! É só eles assinarem um PPA que eu imediatamente arranjo o taco para as fazer.

 

(Z): Pois é! Mas o ponto é que eles não querem. Pior ainda, nem sei mesmo se eles sabem bem o que querem.

 

(X): Como assim? Outra vez as paranóias sobre Segurança de Fornecimentos?

 

(Z): E não só, meu caro. Leste o último IRP que eles publicaram à pressa no fim do ano?

 

(X): Ainda não, porquê?

 

(Z): É que está lá escrito, preto no branco e em gazeta oficial, que até 2013 eles não querem nada com qualquer um dos 29 projectos regionais que estão na bicha PPA. Nem a tswana Mmamabula, nem sequer a CCGT da Moamba. Segundo eles, não há Godots para ninguém.

 

(X): Mas então isso de cooperação regional, o SAPP, a redução de emissões etc e tal, afinal onde é que isso tudo encaixa?

 

(Z): Neste momento, em lado nenhum.

 

(X): Como assim?

 

(Z): Por falar nisso, já topaste a confusão que por ali vai?

 

(X): Mais ou menos… penso eu de que.

 

(Z): Então tenta percebê-la melhor: a Eskom está há meses sem governação, os modelos de financiamento não aparecem, as agências de risco pairam que nem abutres, os sindicatos marcham contra quaisquer parciais privatizações, os IPPs são sistematicamente maltratados, as manutenções derrapam cada vez mais, as tarifas podem vir a aumentar 35% ao ano durante o próximo triénio, a inflação de origem eléctrica pode empurrar o CPI para além dos 6% em 2010, e agora mistura isto tudo com o hiper-agressivo piripiri regional que anda por aí, e imagina no que isto pode vir a dar.

 

(X): OK. Mas também não te esqueças que ainda há dias os gajos anunciaram um Operador de Sistema Independente e um novo quadro para os produtores privados … os IPPs dizem eles. Eu vejo aqui uma chance.

 

(Z): Pois, talvez. Mas também já devias saber o que a casa gasta: tempo demais, sobranceria nacionalista, e muitíssimo red tape. E espera só por veres como é que eles definem as fronteiras dos seus IPPs.

 

(X): Entretanto, ouve lá. Já vistes que horas são?

 

(Z): Yeah! Tens razão. Vamos é curtir e dar uma volta. Senão, amanhã falamos de quê?

 

(X): Bora aí bazzar uma! Vá lá que a malta tem Cahora Bassa que chegue.

 

 

josé lopes

 

Carnaval 2010

 

 

(1) PPA – Power Purchase Agreement = Acordo de Compra de Electricidade imprescindível em qualquer sambódromo de Project Finance.

photo by rui tomás monteiro

xitizap # 52

desdentar um monopólio

à espera de Godot

tarifas Eskom

Eskom e Mphanda Nkuwa

astro stuff

soltas