Madagáscar

Rio Tinto revistada pela polícia: exército à procura de armas

Abril 2, 2009

 

O grupo Rio Tinto, a terceira maior companhia mineira do mundo, anunciou que a polícia e soldados revistaram a sua mina de titânio e escritórios em Madagáscar à procura de armas e mercenários. “A rusga foi concluída e a polícia e o exército já deixaram as instalações” referiu Nick Cobban, o porta-voz do grupo em Londres, numa declaração via e-mail. “Nada foi encontrado durante as buscas.”

 

A mina, localizada em Fort-Dauphin, é o maior investimento estrangeiro de sempre no país e é detido pelo Estado em 20%, tendo começado a produzir no fim de 2008.

 

O líder transitório de Madagascar, Andry Rajoelina, congelou os contratos mineiros feitos com companhias estrangeiras na tentativa de obter royalties mais elevadas, anunciou ontem a Agencia France Press.

 

Rajoelina prestou juramento como presidente em 21 de Março após o seu predecessor Marc Ravalomanana se ter demitido na sequência de pressões dos militares e de dois meses de protestos em que morreram mais de 100 pessoas.

 

O grupo Rio Tinto não tem tido qualquer comunicação formal com o novo governo, havia referido Cobban anteriormente via telefone.

 

* n.e. - o porta-voz Nick Cobban também referiu que o acordo mineiro com a Rio Tinto havia sido assinado com o predecessor de Ravalomanana, o almirante Didier Ratsiraka (actualmente exilado em França na sequência da sua condenação em 2003 por burla e corrupção).

 

in

Madagascar, Rio Tinto searched by police: army for arms

 

 

Areias pesadas de Moma : Previsão de lucros galvaniza operador

 

Maputo, Segunda-Feira, 20 de Abril de 2009:: Notícias

 

OS lucros de exploração das areias pesadas de Topuito, distrito de Moma, em Nampula, poderão atingir 0,3 milhão de dólares norte-americanos, no presente ano económico, segundo projecções avançadas por Charles Carvill, presidente do Conselho de Administração da Kenmare Resources PLc, operadora do projecto.

 

Um comentário Kroll na recente conferência Indaba Mining 2009

 

Um risco adicional (na indústria mineira em África) é a recente posição assumida pelos governos de diversos países em que a actividade mineira é a principal fonte de receita estatal no sentido de se renegociar, cancelar ou realocar contratos e licenças mineiras. Alguns governos têm procurado obter melhores condições por parte de companhias mineiras que parece terem pago muito pouco por tais patrimónios, ou que os asseguraram sem contratos legais. Outros governos realocaram tais patrimónios mineiros a novos investidores, principalmente da Ásia. A Kroll antecipa que as actuais condições de mercado aumentarão a procura de serviços por vezes descritos como “diligências formais pós-transacção”.

 

BHP Billiton - Prorrogada prospecção de areias em Chibuto

 

O GOVERNO moçambicano decidiu prorrogar até Outubro do presente ano a licença de prospecção de areias pesadas em Chibuto, província de Gaza, a pedido da companhia australiana B.H.P. Billinton, uma medida que visa permitir a busca de tecnologias apropriadas para a materialização daquele projecto.

 

Maputo, Quarta-Feira, 8 de Abril de 2009:: Notícias

 

A informação foi prestada recentemente pela Ministra dos Recursos Minerais, Esperança Bias, durante uma visita de trabalho de dois dias àquele ponto do país. A ministra explicou que esta decisão visa conceder aos investidores a possibilidade de assumirem em definitivo uma posição com relação ao futuro da mina. Caso isso não aconteça, segundo a ministra, o Governo terá de chamar a si a responsabilidade de encontrar outros potenciais investidores com interesse em investir em Chibuto, destacando que em função das pesquisas feitas está comprovada a existência de areias pesadas em excelentes quantidades e qualidade naquela região.

 

 

BHP:financial viability of SAfrica smelter at risk

 

 JOHANNESBURG, April 24 (Reuters) - BHP Billiton (BHP.AX) (BLT.L) said on Friday the viability of one of its three southern Africa aluminium operations was at risk following a sharp decline in demand for value-added products.

 

The world's biggest miner told Reuters its Bayside aluminum plant in South Africa had stopped supply contracts with some customers, and was exploring options to restructure the plant.

 

Aluminium sales from Bayside fell 50 percent in the March quarter this year compared to the same period last year, while output was down 46 percent, company spokeswoman Bronwyn Wilkinson said.

 

"The smelter has experienced a sharp decline in the domestic demand for its value-add products resulting in the termination of certain customer supply contracts," Wilkinson said.

 

"Consequently the financial viability of the smelter is at risk."

xitizap # 45

galopes índicos 2009

trotes e motes

a metros do fim

titanium - custos e preços

custos de pirataria

soltas

 

entrevista ao

 Ministro da Energia (Moçambique)

 

(um extracto da abrangente entrevista dada a O País em abril 30, 2009)

 

 

Sobre a HCB, que já está a operar no seu limite e que se pretendia avançar para a Central Norte, já há perspectivas em relação a avanços neste projecto?

 

Estamos a trabalhar no sentido de actualizar os estudos. Temos a autorização da Companhia Eléctrica do Zambeze para conduzir este processo em cooperação com a própria HCB.

 

Recebemos uma oferta de uma sociedade de investidores moçambicanos e estrangeiros, que quer construir a central e traz consigo compradores de energia e financiamento.

 

Trata-se de uma oferta irresistível,

mas ainda não foi concluída a negociação com a referida empresa, porque, uma vez que a Central Norte é parte da actual HCB, as duas centrais terão que operar de forma integrada.

 

Esperamos que, entre Junho e Julho deste ano, terminem as negociações com esta sociedade e possamos daí assinar o contrato. Assim, a construção poderá arrancar no próximo ano e por aí 2014 deverá entrar em operação.

 

Quinta, 30 Abril 2009 07:41 Jeremias Langa in O País

 

 

 

Leia a entrevista na íntegra

 

 

xitizap # 45

 

abril 2009

 

 

SADC - FUEL TRANSPORTATION

 

The National Energy Regulator of South Africa (Nersa) has spectacularly rebuffed a request by Transnet for an average 74,42% pipeline-tariff increase for 2009/10, announcing on Monday that it had instead decided to institute a tariff reduction of 10,38% for the financial year.

 

full article by Terence Creamer

Engineering News

4th May 2009

 

 

Estrangeiros tentam sabotar Cahora Bassa

 

Terça, 05 Maio 2009 11:38 LUSA e O País

 

Quatro cidadãos estrangeiros estão detidos em Tete, por terem sido surpreendidos a lançar “produtos estranhos” à albufeira de Cahora Bassa, indicou uma fonte policial.

 

leia na íntegra O País