Maputo – 21 horas de blackout EDM

 

A EDM (Electricidade de Moçambique) continua a bater recordes de mau serviço e de desrespeito pelos seus consumidores.

 

Ontem, na sequência de uma anunciada manutenção de rotina de 8 horas às redes de distribuição de um sector restrito da cidade, inúmeros bairros não cobertos pelo anúncio público viram-se privados de electricidade durante períodos que variaram entre 15 e 21 horas.

 

À primeira, julguei que o erro na selecção dos bairros se devesse a um desacerto dos GPS da EDM em resultado de uma tempestade geomagnética que há dias por aqui andou.

 

Só hoje soube através dos media que, afinal, tudo se deveu a um incêndio que consumiu por completo a Subestação 5 junto ao campus UEM; trata-se de uma subestação moderna (66/33/11 kV) que, há cerca de 2 ou 3 anos, já havia sido palco de um grande incêndio meses após ter sido inaugurada com a tradicional pompa e circunstância; ainda segundo os media de hoje, a EDM tomou conhecimento do desastre, não porque o seu o novíssimo Centro de Despacho e Controle da Rede Sul EDM tivesse detectado o incêndio, mas porque os residentes da zona a alertaram quanto às chamas.

 

Cuidem-se que a coisa vai continuar feia!

 

Comentários? Para quê?

 

Março 12, 2012

 

(In)seguros nos arames,

deve haver muitos como eu imaginando que a EDM vai informar-nos, hoje mesmo, sobre três questões simples:

 

· graus e prazos de reposição da capacidade eléctrica anterior

· mapas e horários das zonas de distribuição sob defeito

· termos e datas do inquérito ao desastre

 

josé lopes

 

março 12, 2012 (17:25)

Persistem as interrupções eléctricas não-anunciadas nas zonas sob influência do mega-defeito EDM.

 

A 15 de Março, pergunta-se: porque é que a EDM não promove sugestões e apelos à poupança eléctrica?  – estamos a falar da zona onde se concentra o mais intenso segmento de consumo residencial de Maputo.

Rádio Moçambique

 

EDM – PCA não foi reconduzido

 

Ter, 20 de Março de 2012 20:53

 

A empresa pública de Electricidade de Moçambique (EDM) conta, a partir de hoje, com um novo Presidente do Conselho de Administração (PCA), que vai substituir Manuel Cuambe, que vinha assumindo esta função desde o ano de 2005.Trata-se de Augusto Fernando, um quadro do Conselho de Administração da EDM).

O facto foi anunciado hoje, em Maputo, pelo porta-voz do Governo, Alberto Nkutumula, durante o habitual briefing à imprensa no término da sessão do Conselho de Ministros, encontro que aprovou duas resoluções, sendo uma que determina a cessação de funções de Manuel Cuambe do cargo de PCA da EDM e outra que nomeia Augusto Fernando para o mesmo cargo.

A cessação de funções de Manuel Cuambe acontece pouco mais de uma semana após o incêndio na subestação da EDM, localizada no Campus da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e cujos prejuízos estão estimados em cerca de três milhões de dólares.

Os jornalistas presentes no briefing questionaram se a decisão do Conselho de Ministros estaria associado com o referido incidente ocorrido a 11 de Março.

Em resposta, Nkutumula disse não haver qualquer ligação com o caso, vincando que a decisão deve-se apenas ao facto de Manuel Cuambe ter chegado ao fim do seu segundo mandato na direcção da empresa.

xitizap - posfácio F

o Bom

o Mau

… e o Feio

Em Maputo-Cidade

 

EDM precisa de 400 milhões de dólares para melhorar qualidade de energia

 

Segunda, 26 Março 2012

Maputo (Canalmoz) - A Electricidade de Moçambique (EDM) necessita de 400 milhões de dólares americanos para pôr em marcha o projecto de melhoria de qualidade da energia eléctrica fornecida à cidade de Maputo. Ainda segundo a empresa isso iria permitir a redução das constantes interrupções ao fornecimento de energia eléctrica à capital do País.

Text Box: Uma semana depois …

escolha os milhões!

EDM promete minimizar cortes

 

Rádio Moçambique, Dom, 25 de Março de 2012 13:32

 

Segundo o novo PCA, para melhorar a qualidade da energia eléctrica e dos serviços prestados pela EDM são necessários 300 a 400 milhões de dólares americanos.

 

Constantes apagões na cidade de Maputo

 

@Verdade, Terça, 27 Março 2012 09:20

 

(…) Curiosamente estes cortes da corrente eléctrica nalguns bairros da cidade de Maputo, aconteceram numa altura em que os engenheiros e técnicos oriundos de todo o país reuniam-se no Centro Internacional de Conferências Joaquim Chissano, para fazerem o balanço das actividades da empresa Electricidade de Moçambique referentes ao ano passado. Enquanto eles (os dirigentes), batiam palmas e bradavam os céus de tanta euforia desnecessária, os seus clientes choravam uma vez mergulhados na escuridão que ao que parece vai prevalecer até os próximos seis meses, segundo o novo Presidente do Conselho de Administração da EDM, Augusto de Sousa Fernando.

 

O público revoltado com a EDM

 

Os moradores da cidade de Maputo, sobretudo os afectados pelos cortes de energia, pouco se preocupam com as causas da origem da explosão na subestação em referência. Eles vêem esses apagões na perspectiva do impacto que isso pode ter nas suas vidas, estão sim preocupados com os seus electrodomésticos na iminência de serem danificados devido aos cortes repentinos, são quantidades consideráveis de produtos alimentares votados à putrefacção, por não haver como conservá-los. (…)