xitizap # 37

HCB - olha quem fala

Kariba - fev 12

economicismo hidroeléctrico

por exemplo

ondas de cheias

Zambeze - jan 2008

Zambeze - cronologia 1

 

2007- Cheias Zambeze 2007 / Zambezi floods 2007

Zambeze - 12 Fev 2008

 

Um dia depois de a barragem de Kariba ter aberto uma comporta (1500 m3/s) as principais afluências a Cahora Bassa estavam assim …

Rio Luangwa

Rio Kafue

Rio Zambeze

Rio Zambeze

Itezhi-Tezhi

barragem

Kafue Gorge

barragem

Kariba

barragem

Cahora Bassa

barragem

zumbo

 

xitizap # 37

jan/fev 2008

Kafue Flats

intricate meanders in a maze of swampy channels and lagoons.

Mackson Wasamunu of Reuters  took this photo after the spillway gates were opened yesterday (Feb 11, 2008) at Kariba dam on the Zambezi River along the border between Zambia and Zimbabwe. (in USA today)

 

 

Reservatórios em Muito Alta Tensão

 

Numa altura em que o Vale do Zambeze ainda se encontra imerso em inundações em larga medida causadas pelas descargas de Cahora Bassa em Janeiro 2008, a 11 de Fevereiro a barragem de Kariba viu-se obrigada a abrir uma comporta (1500 m3/s) após a sua cota ter atingido um metro abaixo do nível máximo de retenção.

 

Com uma capacidade de armazenamento na ordem de 180 km3, Kariba, que por razões técnicas esteve praticamente vazia na estação de chuvas 2006/07, tem conseguido encaixar os enormes escoamentos originados no Alto Zambeze desde Novembro 2007- ao contrário de Cahora Bassa que, mergulhada em abismos economicistas, se viu obrigada a descarregar logo em Janeiro 2008 cerca de trinta por cento (15 km3) do seu afinal inútil e perigoso armazenamento.

 

A abertura de um descarregador em Kariba numa altura em que prevalecem previsões de chuvas acima do normal na bacia do Zambeze sugere a necessidade de se redobrar a atenção para com a segurança das pessoas e bens no vale do Zambeze – mesmo que a HCB continue a desdobrar-se em ufanias quanto à sua capacidade de encaixe. Aliás, aqui importa é notar que, desde inícios de Fevereiro, esta hidroeléctrica tem vindo a ultrapassar consistentemente a curva guia que ela própria concebeu.

 

Infelizmente, e a confirmarem-se as previsões climatéricas, nos próximos dias Kariba terá que aumentar as suas descargas, e eu não creio que a HCB venha a conseguir gerir as novas afluências sem recurso a uma outra fase de descargas avassaladoras – aí por 20 de Fevereiro/princípios de Março.

 

O que determinaria uma segunda fase de diluvianas inundações.

 

Zeus proteja o Zambeze.

 

josé lopes

 

fevereiro 13, 2008

photograph by François Goemans ( in images @ bbc.co.uk)

Baixo Zambeze

Fev 13, 2008

 

95,000 pessoas sem casas nem bens. Cerca de 200,000 pessoas na total dependência da ajuda humanitária.

Outra vez ... tal como em 2007.

Hidrometricamente esta estação é  crucial

 

Manitoba @ Cahora Bassa

Fev 13, 2008

 

A mando das instituições bancárias internacionais que desembolsaram os valores que foram pagos ao governo português para a reversão da HCB ao Estado moçambicano, uma equipa de especialistas da Manitoba Internacional esteve a trabalhar durante cerca de sete dias na Hidroeléctrica de Cahora-Bassa

 

Na avaliação que fizeram “de acordo com as recomendações do Banco da Inglaterra”, a Manitoba (Canada) verificou que as operações, preparações e o acompanhamento técnico da barragem é muito boa.  Não encontramos razões de queixa”, disse  Nigel Wills, Director-Geral da Manitoba Hydro Internacional.

 

in Notícias

 

Meanwhile,

 

SADC Region On High Alert As More Flooding is Forecast

Southern African News Features (Harare)

Posted to the web 14 February 2008

 

the SADC Disaster Emergency Response Team says the likelihood of continued intense rainfall upstream of the Zambezi River has renewed the threat of extensive floods downstream as river levels continue to rise rapidly.

 

Water levels at Kariba and Cahora Bassa dams, which usually act as buffers, preventing flooding in the Zambezi valley continue to rise sharply.

 

The Zambezi River Authority (ZRA) - a body set up by the governments of Zambia and Zimbabwe to manage Kariba Dam - opened one spillway gate at Kariba dam on 11 February 2008 in order to minimise structural damage to the dam wall.

 

The Authority warns that if the heavy rains persist as is forecast, "more gates may be opened as necessary without further notice".

 

Officials from the Mozambican National Disaster Management Institute warn that if two or more floodgates are opened a series of small towns in the Zambezi Valley thus far unaffected might be inundated.

 

The action by ZRA is in accordance with the Standing Operating Procedures for Kariba Dam.

Under an agreement with Mozambique, any decision to open the Kariba floodgates must be announced at least seven days in advance, which was duly done by ZRA.


By Tigere Chagutah

(extracts)

 

AFP    Published: Feb 14, 2008

 

MAPUTO - Authorities in flood-hit Mozambique have ruled (out) further immediate evacuations despite fears that tens of thousands of people along the Zambezi river are at risk from the opening of a giant dam (Kariba).

 

"We believe we have evacuated everyone from the risk zones," said Colonel Leonardo Dimas, head of the civil protection forces charged with co-ordinating the search and rescue mission.

 

"Having been notified by Zambian authorities of the discharge of 3,000 cubic metres of water from the Kariba Dam, we remain vigilant and ready to act."

 

The national institute for the management of natural disasters said nearly 100,000 Mozambicans have been moved to safe ground since evacuations began on December 20.

 

On Monday, Zimbabwe and Zambia opened a sluicegate in their cross-border Kariba Dam, water which was expected to reach Mozambique within about five days.\

 

 

Cahora Bassa Debt Could Be Paid in Seven Years
in
AIM -  14 February 2008

The debt incurred in the Mozambican government's purchase of a majority holding in the Cahora Bassa dam could be paid in as little time as seven years, according to Paulo Muxanga, chairperson of the board of directors of the dam operating company, Hidroelectrica de Cahora Bassa.

 

In November, the government borrowed 700 million dollars from a consortium of French and Portuguese banks to purchase 67 per cent of the shares in HCB from the Portuguese government. This lifted Mozambique's holding in HCB to 85 per cent, while the Portuguese holding fell to 15 per cent.

 

The money is being repaid to the banks through HCB's sales of electricity, and it was envisaged that the repayment would take ten years.

But, cited in the Beira daily paper "Diario de Mocambique", Muxanga said that the profitability of HCB is now such that the entire debt could be paid off within seven years.

 

 

 

 

Piedade HCB  - acto 2

 

 

A HCB – Hidroeléctrica de Cahora Bassa vai proceder à entrega esta semana do valor de 2.500.000,00 meticais (USD 100,000) ao INGC – Instituto Nacional de Gestão das Calamidades para apoio às vítimas das cheias no vale do Zambeze.

 

A disponibilização deste montante foi tomada na última reunião do Conselho de Administração da empresa, realizada no Songo.

 

HCB poderá antecipar em três anos pagamento de dívida da reversão da barragem

 

A dívida de 700 milhões de dólares US contraída pelo governo moçambicano junto do consórcio bancário BPI/Calyon para pagamento da reversão HCB poderá vir a ser paga mais cedo do que previsto.

 

Citado pelo Diário de Moçambique, Paulo Muxanga (PCA da HCB) considera que, neste momento, a rentabilidade da HCB é de tal ordem que a totalidade da dívida pode vir a ser paga em sete anos - e não em dez como inicialmente previsto.